12 atletas incríveis com deficiência

Basquete em cadeira de rodas em açãoFonte: Pixabay

Felizmente, vemos cada vez mais avanço em nossa sociedade na direção da inclusão daqueles que são diferentes. Desde as questões de gênero até as condições físicas inatas ou resultantes de algum acidente, é importante reconhecermos e celebrarmos a diversidade, já que em nada se relaciona com qualquer juízo de valor.

Portanto, devemos respeitar as diferenças e criar um ambiente que inclua a todos. E isso vai desde políticas públicas até coisas mais simples, como o lazer. E nesse ponto, claro que você pode contar com os jogos de roleta online independente de qualquer característica pessoal!

Escolhemos tratar desse tópico por dois motivos: a proximidade com o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, e para trazer exemplos que mais do que provam que uma deficiência física não significa limitação. Sendo assim, vem com a gente e se inspire nessas histórias!

A importância do 3 de dezembro

Por volta dos anos 80, havia um movimento na sociedade contra o termo “deficiência”, por ser considerado pejorativo. Na época, dava-se preferência para o termo “portador de necessidade especial”, ou PNE, realidade que começou a mudar com o avanço de certas definições.

Um exemplo que ilustra essa questão é o fato de que os dedicados à área defendiam que uma deficiência não se porta, visto que não é um objeto, mas faz parte de quem a pessoa é. Essa abordagem mais humanizada fez com o que o termo PNE caísse em desuso.

Finalmente, em 3 de dezembro de 2010, a portaria 2.344/2010 da Secretaria dos Direitos Humanos alterou oficialmente PNE para PcD, pessoa com deficiência, sendo essa não mais vista como limitação, mas, sim, uma característica que compõe a diversidade dos indivíduos.

A partir de então, o dia 3 de dezembro foi escolhido para celebrar o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, visando aumentar a consciência social e lutar pela inclusão e por uma sociedade mais justa para todos.

Atletas para se inspirar

Natalie Du Toit

Natalie du Toit teve sua perna esquerda amputada após um atropelamento em 2001. Em 2008, ela se classificou para os Jogos Olímpicos de Verão, tornando-se a terceira amputada a realizar a difícil tarefa.

Oz Sanchez

Oz Sanchez ficou paralítico em um acidente de moto em 2001. Ele ganhou medalhas nos Jogos Paraolímpicos de 2008 e 2012.

Jim Abbott

O arremessador Jim Abbott nasceu sem a mão direita. Ele ganhou uma medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Verão de 1988 e lançou um total de 888 strike outs em sua carreira na MLB.

Natalia Partyka

A jogadora de tênis de mesa Natlia Partyka se tornou a mais jovem competidora paraolímpica com 11 anos. A jogadora, que não possui um dos braços, ganhou 4 medalhas de ouro e 1 medalha de prata até agora.

Melissa Stockwell

Melissa Stockwell perdeu a perna esquerda na Guerra do Iraque. Ela foi nomeada a paratleta do ano de triatlo em 2010 e 2011.

Jessica Long

Jessica Long teve suas pernas amputadas quando bebê. Atualmente, ela detém recordes mundiais em 13 eventos de natação paraolímpicos.

Anthony Robles

O lutador nasceu com uma perna. Apesar disso, competiu com sucesso na classe de peso 125 kg da NCAA e venceu o campeonato na temporada 2010-2011.

Bethany Hamilton

O braço esquerdo de Bethany foi mordido por um tubarão em um acidente de surf em 2003. Apesar disso, ela ficou em 1º lugar na Competição Nacional da NSSA em 2005.

Kyle Maynard

O premiado atleta de artes marciais mistas se tornou o primeiro amputado a escalar o Monte Kilimanjaro sem o auxílio de próteses em 2012.

Team Hoyt

A equipe de pai e filho Dick e Rick competem em muitos eventos, incluindo maratonas e triatlos, usando bicicletas e cadeiras de rodas especialmente adaptadas para a paralisia cerebral de Rick.

Raças de paraciclosFonte: Pixabay

Tom Dempsey

Tom Dempsey nasceu sem dedos no pé direito e sem dedos na mão direita. Apesar disso, é conhecido como um dos melhores kickers da NFL de todos os tempos.

Alana Nichols

Em 2000, Alana Nichols ficou paralisada da cintura para baixo após um acidente. Desde então, ela ganhou duas medalhas de ouro no esqui alpino nos Jogos Paraolímpicos de Inverno.

As paraolimpíadas

No próximo ano, os Jogos Paraolímpicos ocorrerão em Tóquio, no Japão, de 24 de julho a 9 de agosto. Será a 32ª edição da competição, e 33 modalidades serão disputadas pelos atletas.

← Arctic Magic da Microgaming vem à vida Prepare-se para o caça-níquel Treasures Of Lion City →